Pular para o conteúdo

Ateliê Editorial lança Palavra e Rosto, de Fernando Paixão

Palavra e RostoFernando Paixão

É senso comum que o ato da poesia se estende para além das palavras. Mas pouco nos perguntamos sobre o que acontece nesse espaço de bruma em que sucede a criação. Surgem intuições difusas e incertas, sopros. Quase sempre se apagam, tornam-se idéias passageiras e não chegam ao papel.

Fernando Paixão se propôs a interrogar esse intervalo registrando livremente algumas situações, devaneios e reflexões, surgidas a partir de estímulos marcantes ou até banais: o detalhe de um quadro, as fotos de Marte, uma mancha no rosto, a chuva caindo e um catador de poemas. Cercado de atenção, qualquer sinal desperta sentidos.

Aos poucos, Palavra e Rosto foi ganhando unidade em torno ao tema da poética ela mesma, flagrada em diferentes meandros. Pequenas reflexões sobre poesia, prosas poéticas que mesclam lirismo e reflexão na busca por registrar intervalos da poesia. Resulta assim um livro de molde pouco convencional, sem receio de aproximar o raciocínio estético ao lirismo, alcançando com essa união uma carga literária incomum.

O livro é ilustrado com gravuras de Evandro Carlos Jardim, parceiro do poeta pela segunda vez, depois de terem se reunido em A Parte da Tarde (Ateliê, 2005). Nascido em 1935, Evandro iniciou carreira artística na década de 1950 e teve logo reconhecido o seu talento, sobretudo no domínio da gravura em metal. Atualmente, é considerado um dos mestres brasileiros do gênero. Em 2005, sua obra foi homenageada com uma retrospectiva na Pinacoteca de São Paulo.

Fernando Paixão nasceu em 1955 na pequena aldeia portuguesa de Beselga. Vive no Brasil desde 1961. Dedicou-se à área editorial durante 35 anos, exercendo diversas funções e chegando à condição de Diretor Editorial da Editora Ática. Em 2007, porém, decidiu virar a página de sua vida. Desligou-se da editora e passou a tocar os seus projetos literários.
Em paralelo à atividade profissional, dedicou-se também à crítica literária. Defendeu mestrado na Unicamp sobre a poesia do poeta português Mário de Sá-Carneiro; e doutorado, na PUC-SP, sobre o gênero do poema em prosa. Ano passado, foi convidado na condição de visiting scholar pela Universidade da Califórnia (UCLA), onde lecionou no início de 2009. Nesse mesmo ano, foi selecionado para o cargo de professor de literatura no Instituto de Estudos Brasileiros (USP), onde atua desde então.
Com a publicação de “Palavra e Rosto”, Fernando Paixão completa vinte anos de produção literária. Estreou com “Fogo dos Rios” (poemas), 1989. Em seguida, vieram “25 Azulejos” (poemas), 1994; “Momentos do Livro no Brasil” (História), que recebeu o Prêmio Jabuti de melhor produção editorial em 1996; “Poeira” (poemas), Prêmio APCA em 2001; “Narciso em Sacrifício: a Poesia de Mário de Sá-Carneiro” (estudo literário), 2003; “A Parte da Tarde” (poema), 2005. Publica também poesia para crianças e assina semanalmente a seção “Olhar”, na “Revista da Folha de S. Paulo”.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: